Qual a relação do biometano e da mobilidade sustentável?

Qual a relação do biometano e da mobilidade sustentável?

A mobilidade sustentável deve ser fomentada por fontes renováveis e acessíveis. Entenda a importância do biometano e o seu desenvolvimento no Brasil.

Como o biometano pode ser o futuro da mobilidade sustentável? A urgência para a redução de emissão de gases do efeito estufa (GEE) trouxe à tona um termo cada vez mais utilizado e colocado em prática: a transição energética.

A transição energética é um processo no qual há mudança nas principais fontes de energia da matriz. Atualmente, as matrizes energéticas mundiais são dominadas por fontes fósseis, como carvão e petróleo. Assim, a alteração propõe modificações significativas na forma de produzir, distribuir e consumir energia, trazendo a tecnologia e modelos mais sustentáveis para serem implementados.

Nesse sentido, o biogás de aterro sanitário surge como uma opção sustentável, não apenas para a geração de energia, bem como a utilização do biometano — produto derivado do biogás — que ajuda a promover uma mobilidade sustentável.

Energia renovável e a mobilidade sustentável

Atualmente, o setor de transportes é responsável por 24% das emissões de CO2, o principal contribuinte para o aquecimento global. Para limitar esse aquecimento a 1,5 grau Celsius, é preciso cortar as emissões em 90% até 2050. Assim, o biometano e a mobilidade são temas que convergem, uma vez que esse gás advindo da produção do biogás pode ser substituído por combustíveis fósseis, sendo opção para colocar carros, ônibus e até tratores em movimento.

O biometano é um gás extraído de matéria orgânica em decomposição, tornando-se uma aposta para que o setor de transporte se torne mais sustentável e econômico. A tecnologia permite a extração com aparelhos biodigestores e pode ter como fonte o esgoto, lixo, restos de alimentos e resíduos da agricultura. Além de ser 100% renovável, a versão renovada do biogás apresenta um custo 56% menor que o diesel, combustível utilizado para transporte de caminhões.

Outro ponto positivo é que o biometano produzido em aterro sanitário também auxilia no correto descarte dos resíduos sólidos urbanos (RSU) resolvendo um outro problema das grandes cidades que é o descarte e gerenciamento dos resíduos produzidos pela população.

O uso do biometano em automóveis no Brasil

O uso do gás como combustível já é consolidado no mercado europeu. A Suécia foi pioneira na implantação da tecnologia e atualmente 90% da sua rede de gás veicular consiste em biometano.

No Brasil, o biometano tem um grande potencial de crescer e se tornar uma fonte viável e acessível para o setor de transporte. No país, esse gás pode ser utilizado em qualquer modelo que possua o kit de Gás Natural Veicular, seguindo a regulamentação geral formulada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O combustível encontra-se em fase de testes e deve se desenvolver, tendo algumas empresas à frente desse tipo de investimento, utilizando o gás em seus veículos.

A Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo (Sabesp) foi a primeira a produzir biometano exclusivamente do lodo proveniente do tratamento de esgoto. Nesse processo, há remoção das impurezas do biogás, transformando o biometano em um gás 96% puro, para atender às regulamentações exigidas em uso de automóveis.

A ANP também está desenvolvendo normas específicas para o biometano proveniente de aterros sanitários. Esse modelo deve crescer nos próximos anos, já que resulta em economia e benefícios ambientais.

Perspectivas para o futuro

Mesmo que o biometano seja regulamentado pela ANP desde 2015 no país, a iniciativa ainda é relativamente nova no mercado, e ainda precisa de um suporte para que seja viabilizada em grande escala efetivamente, visto que, atualmente, há poucas plantas de biometano instaladas no Brasil.

Segundo a Associação Brasileira de Biogás e de Biometano (ABiogás), o potencial do biometano no Brasil é muito alto. O território do país é favorável para a produção de biogás, portanto, de biometano.

O estudo desenvolvido pela ABiogás — Panorama do Biogás no Brasil — mostrou em 2018 que o Brasil é o maior potencial de produção de biogás do planeta com aproximadamente 84,6 bilhões de metros cúbicos/ano. Em 2018, 42 milhões de toneladas de resíduos sólidos foram enviados a aterros no país, porém, somente 2% desse total foi usado para produzir combustível.

Portanto, o Brasil possui uma grande perspectiva de futuro para essa fonte. Cabe ao governo e às empresas investirem e desenvolverem esse modelo para que ele possa estar disponível para o consumidor final. Se você ainda tem alguma dúvida sobre esse assunto, deixe o comentário no post.